Benefícios do jejum intermitente: o que diz a ciência?

1.718

Os benefícios do jejum intermitente fazem com que a opção seja adorada por muitos adeptos. No entanto, os críticos defendem que esse protocolo deve ser seguido apenas sob orientação médica, uma vez que demanda bastante atenção. Saiba o que a ciência diz a respeito:

 

O que é e quais os benefícios do jejum intermitente?

o que é e como fazer jejum intermitente
Reprodução @desincha

O jejum intermitente (JI) é um padrão alimentar que alterna entre períodos de jejum e alimentação. Não especifica quais alimentos você deve comer, mas quando deve consumi-los.

A esse respeito, não é uma dieta no sentido convencional, mas é descrito de fato com mais precisão como um padrão alimentar. Assim, para obter todos os benefícios do jejum intermitente, é preciso seguir protocolos comuns que envolvem jejuns diários de 16 horas ou 24 horas, duas vezes por semana.

Em defesa, afirma-se que jejuar tem sido uma prática comum em toda a evolução humana. Caçadores-coletores antigos não tinham supermercados, geladeiras ou alimentos disponíveis o ano todo. Às vezes eles não conseguiam encontrar nada para comer. Além disso, o jejum religioso também é praticado até hoje.

Apesar do JI ser uma ferramenta de perda de peso que funciona para muitas pessoas, não é indicado para todas.  Esse tipo de protocolo  também não é recomendado para pessoas que têm ou são propensas a distúrbios alimentares.

Se você decidir experimentar a dieta do jejum intermitente, lembre-se de que a qualidade da alimentação é crucial. Não é possível consumir junk food durante os períodos de alimentação e esperar perder peso e melhorar sua saúde só com o jejum, ok?

Pode fazer jejum intermitente todos os dias?

 

Alguns adeptos da prática apontam para os benefícios do jejum intermitente diário. No entanto, é recomendado ter um acompanhamento médico antes de fazer qualquer mudança tão brusca na sua rotina. Isso porque o jejum regular pode causar danos ao organismo se não for realizado corretamente.

Protocolos de jejum intermitente

protocolos de jejum intermitente para emagrecer
Pajaris

Como mencionamos anteriormente, há várias maneiras diferentes de fazer jejum intermitente. Em comum, todas envolvem a divisão do dia ou da semana entre períodos de alimentação e jejum.

Durante os períodos de jejum, você come muito pouco ou nada. Muitas pessoas acham que o método 16/8 é o mais simples, mais sustentável e mais fácil de seguir. Também é o mais popular.

Estes são os protocolos de jejum mais conhecidos:

Método 16/8:

 

Também chamado de Protocolo Leangains, envolve pular o café da manhã e restringir o período de refeições diárias a 8 horas, como 13:00 às 21:00. Então você jejua por 16 horas entre a última e a primeira refeição.

 

Coma-Pare-Coma:

 

Isso envolve jejuar por 24 horas, uma ou duas vezes por semana. Por exemplo, não comer do jantar um dia até o jantar no dia seguinte.

 

como fazer jejum para emagrecer
Reprodução

 

Dieta 5: 2:

 

Por fim, com esse método, você consome apenas 500 a 600 calorias em dois dias não consecutivos da semana, mas come normalmente nos outros 5 dias.

Ao reduzir sua ingestão de calorias, todos esses métodos devem causar perda de peso, desde que você não compense comendo muito mais durante os períodos de alimentação. Esse é, portanto, um dos principais benefícios do jejum intermitente.

 

Dieta do jejum intermitente faz bem ou mal? Saiba o que diz a ciência

jejum intermitente faz bem
Reprodução

A polêmica entre os adeptos do jejum intermitente e aqueles que condenam a prática é grande. De um lado, fica a observação básica de que qualquer dieta onde haja restrição severa na ingestão calórica irá trazer resultados. Embora seja importante notar que também que isso pode desencadear períodos de compulsão.

Benefícios do jejum intermitente

 

Alguns benefícios do JI são comprovados pela ciência. É fato que a prática do jejum intermitente altera a função das células, genes e hormônios. Quando você não come por um tempo, várias coisas acontecem no seu corpo.

Por exemplo, seu corpo inicia importantes processos de reparo celular e altera os níveis hormonais para tornar a gordura corporal armazenada mais acessível, o que pode ajudar no emagrecimento.

Muitos daqueles que tentam o jejum de modo intermitente estão fazendo isso para perder peso. De um modo geral, a prática dos protocolos de jejum fará com que você coma menos refeições.

Assim, a menos que você compense comendo muito mais durante as outras refeições, acabará consumindo menos calorias. Além disso, o jejum de forma intermitente melhora a função hormonal para facilitar a perda de peso. Por fim, o principal benefício da prática é que, de fato, ela ajuda na perda de peso e na queima de gordura.

 

Contra-indicações do Jejum Intermitente

 

Por fim, apesar dos longos períodos sem alimentação ajudarem, de fato, no emagrecimento, é preciso notar que a longo prazo as restrições alimentares podem prejudicar a saúde. Além disso, especialistas observam que tão prejudicial quanto a compulsão alimentar é a falta de alimentação correta.

Desse modo, é importante aprender a respeitar os sinais naturais de fome e saciedade do organismo, uma vez que ambas as situações (exceço ou déficit) vão contra a fisiologia natural do organismo. De acordo com Lilian Sant’Anna, coordenadora de nutrição do Hospital do Coração, o mais importante é levar em consideração o estilo de vida como um todo.

Além disso, é preciso sempre respeitar a individualidade de cada um. Ou seja: o que funciona para uma pessoa pode fazer mal para outra e acarretar em riscos à saúde. Por isso é tão importante o acompanhamento profissional, já que uma análise completa é necessária para indicar o melhor protocolo de perda de peso.

Quem também alerta contra o uso dos protocolos de jejum como dieta é o Center For Discovery, especializado no tratamento de desordens alimentares. Segundo os especialistas,  indivíduos abaixo do peso, menores de 18 anos, grávidas ou que estão amamentando não devem tentar uma dieta de jejum intermitente, pois precisam de calorias suficientes diariamente para o desenvolvimento adequado.

Outro alerta importante que os profissionais do Center For Discovery fazem é que o jejum tem alta associação com bulimia nervosa e, como resultado, indivíduos suscetíveis a um distúrbio alimentar não devem ser submetidos a nenhuma dieta associada a esses protocolos.

Os fatores de risco para um distúrbio alimentar incluem ter um membro da família com um distúrbio alimentar, perfeccionismo, impulsividade e instabilidade do humor.

Comentários