Conheça a história do biquíni, suas evoluções e tendências

0 44

Quem vê o biquíni hoje nem imagina que essa peça já causou muita polêmica ao redor do mundo. Se nos dias atuais esse item é aclamado — principalmente pelas brasileiras —, em 1907, ele causou a prisão da nadadora Annette Kellerman. A acusação de indecência foi motivada por uma peça única, similar a uma camiseta e um short de ciclismo.

A peça — que nem de longe parecia com nosso atual biquíni — foi considerada justa demais, um atentado ao pudor. Depois desse episódio, o biquíni passou por diversas transformações, até chegar à versão que conhecemos — e amamos — hoje.

Que tal saber um pouco mais sobre a história do biquíni? Nós contamos tudo neste post. Confira!

A apresentação do biquíni ao mundo

Antes de 1920, qualquer peça mais justa ou que revelasse determinadas partes do corpo era considerada polêmica. Após essa data, no entanto, exibir a pele passou a ser cada vez menos ousado. Os maiôs recortados, decotados e justos eram uma febre entre as pin ups e atrizes, como Ava Gardner.

A única restrição imposta sobre as peças de banho tinha nome: o Código Hays, um conjunto de normas que vigorava em Hollywood e determinava — entre outras regras — que as atrizes não poderiam aparecer em filmes com o umbigo de fora. Por isso é tão comum ver shortinhos no estilo hot pants em fotos e filmes dessa década.

O biquíni como conhecemos hoje

Foi só após a Segunda Guerra Mundial que o mundo conheceu o biquíni em uma versão parecida com a que temos hoje. O estilista Louis Réard pensou em criar uma peça polêmica e inovadora, lançando o le bikini.

A peça foi recebida com hostilidade, tanto que nenhuma modelo da época aceitou fotografar usando o item. No entanto, uma corajosa stripper chamada Micheline Bernardini aceitou o desafio e foi a primeira mulher a aparecer usando a peça.

A evolução dos modelos

Depois que personalidades, como Brigitte Bardot, passaram a adotar o biquíni, outras mulheres tomaram fôlego e a peça ganhou força. Foi na década de 60 que o mundo declarou seu amor pela peça oficialmente e deixou todos os velhos pudores de lado. Ela ganhou espaço na mídia e no cinema, como no filme “007 Contra o Satânico Dr. No”.

De lá para cá, o biquíni passou por diversas transformações, e nós vamos te mostrar algumas delas agora!

Década de 60

Nesse período, o biquíni já estava bombando. Aqui, nasceu a necessidade de confeccionar peças mais confortáveis. A lycra passou a ser um material largamente usado na produção dessas peças, o top começou a modelar o busto e a calcinha já era bem menor e mais baixa que os modelos hot pants.

Década de 70

Na década da paz e do amor, o biquíni de crochê era consagrado. Ele era quase sempre colorido e seu tamanho já era muito menor, comparado aos modelos da década anterior. Foi nessa mesma época que as calcinhas no estilo tanga conquistaram as mulheres e marcaram presença nas areias mundo afora.

Década de 80

Os biquínis dos anos 80 seguiam uma linha esportiva, cheios de cores vivas e vibrantes —, incluindo o neon. Foi nessa época que a calcinha asa delta se consagrou, assim como as peças com lacinho lateral, o biquíni cortininha e o fio dental. O beachwear dos anos 80 deu início a diversas tendências que usamos — e amamos — até hoje.

Década de 90

As peças cavadas lançadas nos anos 80 ganharam ainda mais força na década de 90, graças ao seriado de TV SOS Malibu. A icônica cena da atriz Pamela Anderson correndo na areia com seu maiô vermelho marcou a década. Portanto, as peças vermelhas, assim como o animal print, foram o hit dessa época.

Anos 2000

A cintura baixa foi a febre dos anos 2000, não só nas calças, mas também nos biquínis. O top era bem parecido com o cropped que usamos hoje. Além disso, começaram a surgir diversos acessórios, como cangas, saídas de praia, sacolas, bolsas e óculos.

Ano 2010

De 2010 para cá, muitas tendências que fizeram sucesso em outras décadas foram repaginadas. A característica mais marcante dos últimos 10 anos para a moda praia — assim como para a moda como um todo — é a variedade de peças. A diversidade fica cada vez mais forte e existem opções para todos os gostos e estilos.

A trajetória do biquíni no Brasil

O biquíni passou a ser usado no Brasil no final dos anos 50 — principalmente pelas vedetes —, mas foi na década de 60 que a eterna garota de Ipanema conquistou Vinicius de Moraes e transformou-se em um ícone das praias brasileiras.

Quem também roubou a cena nessa mesma época foi a lendária atriz Leila Diniz, que desfilava pelas areias de Ipanema com seu biquíni, acompanhada de sua barriga de grávida. Esse ato foi recebido de forma polêmica, já que o nosso país enfrentava a ditadura militar nessa mesma época.

O Brasil é um país que construiu uma relação com o biquíni como nenhum outro. Com praias paradisíacas espalhadas por diversos estados e um clima tropical, era inevitável que o nosso povo construísse uma relação íntima com o mar e com as areias, assim como com o beachwear.

Não é à toa que os biquínis brasileiros são referências no mundo inteiro. Nossas peças ganham destaque em qualidade, inovação e, principalmente, em estilo. O biquíni brasileiro é muito conhecido por sua ousadia, mas também pela tecnologia que é empregada na confecção das peças.

Se você chegou até aqui, deve ter percebido que, embora a história do biquíni tenha trazido peças de todos os estilos, cores e padronagens, muitas dessas tendências se repetem de tempos em tempos. Alguns modelos estão sempre em alta, como é o caso do biquíni cortininha. Já outros ganham versões modernas e repaginadas, como foi o caso da calcinha cavada e das peças em neon, em 2019. Seja qual for o seu estilo, sempre haverá uma tendência perfeita para você!

Gostou de conhecer a história do biquíni? Então, que tal compartilhar este conteúdo com suas amigas nas redes sociais?