Você sabia que alguns óleos essenciais têm contraindicações?

0 22

No Brasil, cada vez mais pessoas estão usando a aromaterapia como terapia alternativa. E, de fato, os óleos essenciais (OEs) são benéficos para a nossa saúde – física e mental –, já que são capazes de aliviar sintomas de diversos problemas. Mas, por mais natural que essa terapia seja, alguns óleos essenciais têm contraindicações. Por isso, antes de sair comprando e usando os OEs, confira como usar e quais você deve evitar.

Óleos essenciais têm contraindicações?

óleos essenciais contraindicações
Foto: Pixabay

Os óleos essenciais são substâncias extraídas de folhas, flores e frutos que têm benefícios para a nossa saúde mental e física. No Brasil, cada vez mais pessoas estão usando a aromaterapia como tratamento complementar para ajudar no alívio de sintomas de diversos problemas, como ansiedade e depressão e dores de cabeça ou nas costas, por exemplo. Segundo pesquisas científicas, a aromaterapia é considera eficaz como tratamento coadjuvante.

No entanto, o que nem todo mundo sabe é que alguns óleos essenciais têm contraindicações. Por isso, o uso da aromaterapia precisa de cautela. “O ideal é sempre procurar a ajuda de um aromaterapeuta, que vai indicar quais são os óleos adequados para cada um e também orientar quanto à forma de uso. Em alguns casos ou com o uso incorreto, algumas substâncias podem ser tóxicas para o organismo”, afirma a terapeuta holística Aline Soares.

Além disso, a terapeuta lembra que a qualidade do produto é imprescindível para que haja benefícios reais e que nenhuma terapia alternativa substitui orientações médicas: “Os óleos essenciais são seguros para adultos saudáveis, por isso, jamais devemos substituir qualquer tratamento sem antes conversar com um profissional”.

Quais são as contraindicações dos OEs?

Se você está buscando o auxílio da aromaterapia para aliviar alguns sintomas ligados a problemas mentais ou físicos, é importante ter em mente que alguns óleos essenciais têm contraindicações, já que são muito concentrados. Com a ajuda da terapeuta holística, reunimos os principais pontos que merecem atenção na hora de usar os OEs. Confira:

Cosméticos
Foto: Pixabay

Pele e cabelo

Basta fazer uma busca rápida na internet para encontrar recomendações de uso dos OEs para a saúde da pele e dos cabelos. Além disso, eles também estão presentes em cosméticos para hidratar e prevenir o envelhecimento precoce, por exemplo. No entanto, como são substâncias muito concentradas, não devem ser aplicadas puras sobre a pele. Aline alerta que “Alguns OEs podem causar irritação, alergia e até queimaduras. Em termos gerais, os únicos óleos essenciais que podem ser aplicados diretamente sobre a pele são os de Lavanda, Tea Tree e Copaíba”.

Na gravidez e hipertensão

Alguns óleos essenciais também têm contraindicações para mulheres grávidas e pessoas hipertensas, especialmente os OEs estimulantes, que podem acelerar o metabolismo e os batimentos cardíacos. “Na gravidez, especialmente nos primeiros meses, os cuidados com o uso dos óleos essenciais devem receber ainda mais atenção. Isso porque, como é uma fase muito sensível, alguns podem causar mal estar. Nenhuma mulher grávida deve usar os OEs sem o consentimento do obstetra”, alerta a terapeuta. Já nos casos de pessoas hipertensas, os óleos que têm propriedades estimulantes podem acelerar os batimentos cardíacos, como os de canela, alecrim, cravo e gengibre, por exemplo, e agravar os problemas já existentes. Por isso, são contraindicados para pessoas que sofrem com esse problema.

Siga-nos no 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais

Privacy & Cookies Policy