4 artistas negros para conhecer e admirar as ilustrações

1 506

O mundo da arte, especialmente os museus, historicamente destacou obras de artistas brancos – e principalmente homens. Você pode ter perdido muita arte de artistas negros brasileiros, a menos que a tenha procurado intencionalmente. No entanto, é impossível negar a relevância da cultura afrodescendente para o cenário artístico global.

Com a colaboração da Dezáina, selecionamos uma curadoria de 4 artistas negros para vocês conhecerem, e assim entenderem a importância da representatividade no mundo da arte. É importante ressaltar que existe uma grande quantidade de artistas negros jovens e menos conhecidos que buscam a pintura figurativa hoje em dia, garantindo a longevidade e a riqueza dessa próspera tradição ao mesmo tempo em que se baseiam nela.

Vanessa Ferreira – @pretailustra

A artista paulistana Vanessa Ferreira, 34 anos, mais conhecida como @pretailustra, é também integrante do projeto @coletivo_pretasillustram e produz ilustrações lindas que abordam a figura da mulher negra e periférica.

“Criei o @pretailustra para falar de arte e ilustração na internet. Tendo o recorte de raça como protagonismo e com isso venho reescrevendo as narrativas sobre os nossos corpos através da arte”, explica.

Segundo ela, uma das vitórias dos artistas pretas foi, finalmente, o lançamento de materiais com vários cores de pele. Para ela, a inclusão representa “reconhecimento de uma educação plural e anti racista, onde colocamos a diversidade ao ensinar que temos vários tons”. Então, tudo bem se cair seu queixo toda vez que ela aparecer na sua timeline.

Mergulhe no feed dessa grande ilustradora para ver alguns de seus trabalhos mais recentes em toda a sua glória deslumbrante e reveladora.

Bruh Bandeira – @imagineedesenhe

A ilustradora Bruh Bandeira, de 29 anos, é uma artista autodidata, e seu trabalho é voltado para celebrar as mulheres negras da moda em quase todas as situações imagináveis. Nascida e criada na periferia de São Paulo, a artista incorpora frases poderosas às suas ilustrações, e o resultado é uma mistura de alegria e representatividade que é impossível de esquecer.

O mais legal: ela desenha em sua maioria mulheres e muitas delas são inspiradas em pessoas da vida real. “Ilustro desde 2012, e a representatividade está na cor, cabelo, abordo no meu trabalho toda hora”, afirma.

 

Tamiris Benemini – @tamibenemini

Com desenhos feitos à mão, a ilustrador paulista Tamiris Benemini criou um estilo reconhecível com personagens divertidos e coloridos, e sempre ao lado de seus marcadores Copic.

Aliás, foi com a marca que a artista aprendeu a dar voz a uma importante causa do mundo da arte: a oferta de cores que também contemplem as peles negras. Até pouco tempo atrás, representar nos desenhos os diferentes tons de pele dos brasileiros era bem difícil. As caixinhas de lápis de cor, de giz e de canetinha não tinham tonalidades que valorizassem a diversidade. Imagine explicar isso às crianças?

“Eu lembro de que quando eu era pequena, nas aulas de arte, eu falava ‘vou eu pintar esse de tom de pele e eu de marrom’, como se o meu tom marrom não fosse de pele. Agora, trabalhando com cores, eu vi na Copic uma chuva de argumentos contra ao ‘não temos a cor para te representar’. A Copic tem inúmeros tons de marrom, com inúmeras nuances, que até então, que nós nem percebíamos a necessidade que ela teria para representar tons de pele. O estudo, principalmente de tons e subtons de pele, é essencial para entender as diversas tonalidades”, conta.

Por que você deve seguir: As paletas de cores de Tamiris, por si só, iluminarão seu dia.

Você pode comprar sua caneta Copic tons de pele aqui.

Massai – @massai

Formado em Design, o mineiro Leandro Oliveira, conhecido como Massai, faz sucesso no Brasil e no exterior com seus desenhos originais. Embora seu trabalho se aproxime muito do digital, as práticas manuais tradicionais não são deixadas de lado, e ainda são impressas em suas criações.


Sua arte já rodou o mundo e estampa produtos na Indonésia, Inglaterra, Espanha, Austrália e Estados Unidos. No site dele ainda tem outras ilustrações maravilhosas para você conhecer. Percorra o feed do artista para um banquete visual de seu trabalho.

Ele também está no Youtube:

 

Marcador com todas cores de pele – Artistas Negros

artistas negros canetas copic

É bem provável que, quando criança, você tenha usado um lápis popularmente conhecido como “cor de pele” para colorir a superfície de personagens no papel em branco. Essa cor, no entanto, não refletia o tom da pele humana. Fora isso, não havia opções que correspondessem aos variados tons de pele escura.

Hoje, os tempos são outros e as marcas estão cada vez mais atentas para questões de inclusão e diversidade durante a elaboração e venda de novos produtos. Atenta a isso, a marca de canetas Copic apresenta uma ampla coleção de cores ‘tons de pele’, com objetivo de ajudar a inserir os valores da diversidade na arte, transformando a caneta em uma ferramenta para desenhar e representar melhor as pessoas.

“Há alguns anos, a descrição das cores em alguns produtos ainda fazia referência às raças e tons de pele distintos. Nos últimos anos vimos uma mudança nesse padrão. Hoje, já é inconcebível para uma marca ter produtos assim”, explica Fábio Sevá, fundador da Dezáina, loja oficial da marca no Brasil.

Assista ao vídeo: caneta Copic para todas as cores de pele

Afinal, a representatividade negra na arte também liberta.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais

Privacy & Cookies Policy