Após 30 anos, como envelheceu o filme ‘Uma Linda Mulher’?

0 1.036

Considerado um clássico dos cinemas, o filme Uma Linda Mulher completa 30 anos em julho deste ano. A produção protagonizada por Richard Gere e Julia Roberts – em uma atuação icônica -, é a comédia romântica com maior bilheteria dos cinemas. Mas, depois de três décadas, ele ainda é unanimidade? Assim, nos propusemos a assistir a obra mais uma para ver como ela envelheceu.

+Leia mais: Filmes De Praia: 10 Títulos Que Vão Te Levar A Lugares Paradisíacos

Filme ‘Uma Linda Mulher’ – Resumo

Embalado pela canção de Roy Orbison, o filme apresenta o frustrado homem de negócios Edward Lewis, que um dia encontra no Hollywood Boulevard a bela prostituta Vivian Ward. Após uma noite de companhia, o ricaço propõe um negócio de uma semana para sua acompanhante. A oferta de 3 mil dólares é a quantia que Vivian aceita para acompanhar seu novo pretendente entre reuniões, encontros de negócios e noites solitárias. A relação e o afeto entre os dois cresce cada dia mais de convivência, mas o que fazer?

Como todas as comédias românticas clássicas de Old Hollywood, o filme Uma Linda Mulher é sobre um homem e uma mulher que estão presos em uma luta sedutora, mas controversa, para se manter em pé de igualdade, com a mulher geralmente em desvantagem.

O diretor Garry Marshall faz do entretenimento vintage uma obsessão por Vivian, que gargalha contagiosamente os velhos episódios de I Love Lucy e adormece assistindo Hepburn e Cary Grant em Charade. Marshall e seu roteirista, JF Lawton, estão preocupados ao transformar Vivian em uma imagem de inocência – não uma trabalhadora do sexo que ganha na loteria, mas uma ingênua que descobre a mulher adequada que ela sempre foi.

Críticas nos dias de hoje – Filme Uma Linda Mulher

No entanto, o abismo social e econômico entre os dois protagonistas do filme é algo infelizmente mostrado apenas com alívio cômico, deixando o filme mais unilateral. Isto é, nenhuma reflexão profunda é criada sobre a pobreza e a exploração visceral que claramente a personagem de Vivian passa em seu cotidiano. É um filme de comédia romântica, mas mesmo assim, ao lidar com um tema tão delicado, a consciência de classe não pode ser simplesmente ignorada na construção de personagens realistas.

O filme nos expõe ações abomináveis, mesmo que 30 anos depois a sociedade em que vivemos ainda se apresenta sexista e violenta com as mulheres. )s anos 90 claramente eram vividos de outra forma -um mundo em que ainda nem havia ocorrido a conferência de Viena sobre os direitos humanos, que gerou Declaração sobre a eliminação da violência contra a mulher.

Além de uma cena explícita de violência contra Vivian por um outro personagem, o filme é recheado por um ideal machista de decoro feminino e por uma visão patriarcal de salvação masculina. Isto é, Vivian é o tempo todo criticada por Edward que repete “Pare de rebolar” ao observar o andar da personagem. Pois, em sua visão social, o rebolar dela desmontava um suposto decoro elitista de comportamento casto feminino.

Alguns elementos ganham contorno negativo sobre o filme, como o sonho de princesa resgatada pelo seu príncipe para que então possa ser feliz para sempre. O fato de não haver personagens negros também é outro ponto que hoje não passaria.

A comédia romântica de Garry Marshall pode ter algumas políticas sexuais questionáveis, mas Julia Roberts continua sendo uma fuga magnética que resiste ao tempo.

Onde assistir?

O filme está disponível nas plataformas Google Play filmes e também para alugar no Youtube.

Veja o trailler do filme

Fontes: BBC; Pinterest.