O que é cansaço mental e como aliviar o problema?

De repente, você começa a se sentir muito cansado – mental e fisicamente. Dores no corpo, alterações no sono (para mais ou para menos), ansiedade, irritabilidade, desânimo, falta de concentração, enxaqueca e até desconfortos gastrointestinais também são alguns sintomas que podem significar que você está sofrendo de cansaço mental, também conhecido como estafa. Em tempos em que o mercado de trabalho, a sociedade e nós mesmos estamos o tempo todo fazendo cobranças excessivas, chegar a um nível de esgotamento que compromete o rendimento é cada vez mais comum. Mas saiba que tudo isso não acontece assim tão de repente. E, melhor ainda, que você pode aliviar esse problema.

O que é o cansaço mental?

Foto: Engin Akyurt

A cobrança à qual estamos expostos atualmente é intensa. O mercado de trabalho exige cada vez mais resultados, a sociedade julga e deseja pessoas que não erram e, mais que isso, nós mesmos estamos acostumados a achar que podemos (e devemos) ser melhores e mais ativos em todos os segmentos da vida. Se você está acostumado a fazer muitas tarefas, se apressar, acordar cedo e dormir tarde para dar conta de tudo e dar o seu máximo para que tudo saia perfeito, é possível que, em algum momento, você sinta sinais de cansaço mental. “No mundo de hoje, são muitas atividades exigindo concentração e habilidades desgastantes para o cérebro e o corpo de maneira geral. A pressão é intensa”, avalia o psicólogo Marlon Ribeiro, especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental.

Além disso, o cansaço mental acontece porque não temos tempo para o autocuidado e para relaxar ao final de um dia cansativo. Nesse sentido, até mesmo os compromissos simples, como ir ao supermercado ou dirigir em um trânsito pesado, podem se tornar estressantes. Segundo o psicólogo, “Como estamos falando de levar o corpo e a mente a níveis de performance contínuos e intensos, o cansaço físico e mental é o primeiro sinal de alerta de que o indivíduo precisa desacelerar”.

Isso porque, ainda de acordo com o profissional, se não dermos a devida atenção ao problema, o cansaço mental sobe de nível e pode se tornar um distúrbio psíquico. A Síndrome de Burnout, a depressão e a ansiedade são alguns problemas que podem surgir. “Também podem ocorrer conflitos familiares, que seriam plenamente manejáveis numa condição menos angustiante. Isso, claro, sem falar nos óbvios conflitos no ambiente de trabalho, que se torna tóxico e competitivo de forma negativa”, complementa o profissional.

Como aliviar os sintomas?

Foto: Pixabay

Embora nós estejamos acostumados a correr para lá e para cá e achar que a falta de tempo é normal, o cansaço mental vai surgindo com o tempo e, no início, os sintomas podem ser leves. Isso pode nos levar a pensar que não temos exatamente um problema. Mas, segundo Marlon, “Em primeiro lugar, é necessário compreender que as pessoas precisam se conhecer e reconhecer seus limites e sinais de alerta. O cérebro, o corpo e a mente precisam de pausas e de refrescos. Precisamos normalizar as pausas durante as atividades”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Para aliviar os sintomas do cansaço mental, portanto, é imprescindível “dar um tempo”. “Pequenos intervalos para ir ao banheiro, fazer uma ligação para uma pessoa querida, tomar água, fazer um lanche, respirar ar puro e fazer pausas de 15 minutos (pela manhã e pela tarde) já vão fazer diferença”, conta o psicólogo. No entanto, segundo ele, isso não é suficiente. “Ainda que possa parecer desafiador, é necessário desenvolver o hábito do autocuidado”, conta.

Dicas práticas

Dessa forma, o profissional também recomenda procurar a ajuda de um psicoterapeuta qualificado: “A psicoterapia auxilia o paciente a responder de forma adequada a situações estressantes, promovendo a saúde mental, o alívio dos sintomas e desenvolvendo habilidades e recursos (mentais e emocionais) para que ele se comporte de forma funcional e regulada”. Marlon também afirma que, no dia a dia, “É importante incluir na rotina atividades físicas e prazerosas porque elas promovem o bem-estar, favorecem o descanso e funcionam como uma fonte de recompensa para a pessoa”.

Se alimentar bem, passear com o cachorro ou com os filhos, passar a tarde num spa, caminhar no parque, cozinhar, meditar, ler um bom livro, assistir um filme, ouvir músicas alegres e não trabalhar além do horário de expediente, portanto, são alguns exemplos de hábitos que você pode (e deve) incluir na sua rotina para aliviar o cansaço mental. “Além da satisfação em fazer algo que se gosta, do senso de autoeficácia e realização, essas atividades vão trazer um funcionamento neuroquímico positivo para o corpo, produzindo hormônios da felicidade”, finaliza o psicólogo.

Siga-nos no 
autocuidadoestressesaúdesaúde mental
Comentários (0)
Comentar